22.8.08

o esporte mais solitário que existe



A foto acima mostra o que praticamente selou a soberba vitória da Maurren Maggi. Sem querer dar uma de advogado do diabo, eu diria que é praticamente impossível vc determinar sempre um máximo aproveitamento daquela tábua que define o começo do salto. Isso quer dizer que a conquista da atleta brasileira teve uma boa dose de sorte. 'É um demérito?', você me pergunta; longe disso! A sorte só trabalha a favor de quem está pronto para ela. (Ô, clichezão...)

---

Uma história: na adolescência pratiquei atletismo por cerca de um ano numa (miraculosamente instalada e pessimamente conservada) Praça de Esporte que havia em frente de casa (à noite era ponto de outros esportes, mas isso é uma outra história...) sem, contudo, chegar a competir; era mais para condicionamento físico, mesmo.

Das lembranças que tenho dessa época, posso dizer o seguinte: o atletismo é das modalidades mais solitárias do esporte. Quase sempre o adversário é nada mais nada menos que você mesmo. Você tem que manter o foco, ser frio nas adversidades, mais frio nas horas de grande vantagem, ter plena confiança em sua capacidade, ter sensibilidade para fazer os detalhes trabalharem a seu favor... Se vocês tiverem reparado as transmissões de atletismo, os técnicos ficam longe dos atletas, quase inacessíveis. E isso significa que tudo se resolve na cabeça do competidor. E é por isso que adoro Olimpíadas. É quando estamos diante de uma grande concentração de pessoas fenomenais.

Nenhum comentário: