28.8.08

Se fossem atabaques não acontecia nada!

O que um músico sentiria se tivesse um violino fabricado em 1896 - e que o acompanha desde criança - roubado? Ou se tivesse um violoncelo não menos valioso roubado e o encontrasse num lixo? Ou se estivesse na cidade para fazer trabalho voluntário, levando música clássica para crianças carentes, e tivesse, além dos instrumentos raríssimos, até as roupas de apresentação roubadas?

Pois é, senhoras e senhores... isso aconteceu na capital nagô, onde tudo é alegria!

***

Até a Rita Lee teve instrumentos roubados! Logo a Rita Lee? Que lástima!

***

Aliás, isso me faz lembrar de certo diálogo que travei com um - olha só! - socialista. Meu interlocutor acha que a revolta das vítimas de assalto é nada mais nada menos que materialsmo. Nananina, meu barato. A revolta do assaltado é justíssima. Ele acabou de ter parte de sua história (por infinitesimal que seja essa parte) arrancada por alguém que não quer muito mais que exibir truculências e ressentimentos.

Não tenham dúvida: materialistas são os bandidos.

24.8.08

Para arrematar sobre a Maurren...

Fábio Seixas lembra do tempo em que a Maurren circulava pelos padocks da F1 como mamorada do piloto Antônio Pizzonia.

O ufanismo muda de estação? (UPDATE)

Terminadas as Olimpíadas, a Globo mantém o esporte em suspensão nas cabeças da massa; só que com a Copa do Mundo... Ao fim dos penúltimos Jogos Olímpicos a emissora iniciava em uma grande reportagem o que chamou de contagem regressiva para estas recém-findas Olimpíadas; com direito a instalação de escritório em Pequim dias antes da tocha olímpica ser apagada em Atenas (ainda no distante ano de 2004). Um pouco estranha, essa mudança de prumo...?

A mensagem, embora sutil, é bastante clara: tudo leva a crer que a transmissão dos Jogos de Londres 2012 será 100% da Record; melhor escrevendo, estará 100% fora das Organizações Globo (1). Para os desavisados, a Record detém os direitos de transmissão dos próximos 3 grande eventos olímpicos(2) e já divulgou que não os revenderá.

Mas isso é definitivo? Hoje é.(3) (Um pouco mais de sutileza...) Incrível, não?

A, er, equipe de esportes da Record hoje se resume a alguns gatos pingados(4). Segundo o "Radar on-line" os bispos querem contratar 200 pessoas nesse período. Dinheiro e ousadia não lhes faltam. Já quanto à qualidade...

Vamos ver. O ufanismo esportivo pode mudar de emissora.

Acabo de ver a reportagem que deu o pontapé inicial da cobertura de Londers 2012 pela Rede Record. Não é por nada não... Mas está feia a coisa. E atenção: não torço contra a Record. (Aliás, não torço contra ninguém - o mundo precisa de pessoas bem sucedidas!) Espero que ela faça uma bela cobertura porque o evento merece. Agora, o pontapé foi muito fraquinho...



  1. excetuando-se talvez a mídia impressa e a TV fechada...

  2. Jogos de Inverno em 2010, Panamericanos em 2011 e Olimpíadas 2012

  3. Há uma tese no meio da Comunicação em que os direitos de transmissão seriam 'negociáveis'. Entre as pretensas trocas: um posicionamento melhor na grade de canais da TV fechada. Eu, heim... A observar.

  4. a título de exemplo: seus principais locutores esportivos são péssimos, sofríveis, mesmo. Incluindo-se o Márcio Torres. Há quem diga que querem levar o Cléber Machado, o que seria um belo upgrade.

23.8.08

Duas conquistas.



Duas conquistas. Duas maravilhosas redenções.

olímpicas...

nenhum cubano pediu asilo na china... deve ser BEM MELHOR nadar num mar cheio de tubarões que viver governado por eles,não?

***

Galvão Bueno é - tecnicamente - um baita locutor. Chega muito proximo à perfeição. Mas só tecnicamente. Porque essa mania de se colocar como torcedor número um dos esportes brasileiros lhe dá uma estranha credencial para falar toda sorte de bobagens ao microfone. Talvez falte a tal 'força mental' para ele...

***

Vendo as competições de ginástica e ginástica artística não me conformo em não ter nanhum moleque ou menina baiana na equipe. Se você já viu um molequinho capoeirista numa praia de Salvador, sabe do que falo.

No alvo

(...) temos uma sociedade acovardada, fujona, avessa à luta. Tudo aqui é feito para desestimular a disputa, para reprimir o desafio pessoal, para amolecer o caráter: o parasitismo estatal, a política fundada no escambo, a cultura baseada no conchavo, a repulsa por idéias discordantes. Esse nosso temperamento de rebanho inibe qualquer forma de atrito, qualquer tipo de inconformismo, qualquer espécie de enfrentamento. Quando temos de competir, afinamos. Por isso aprovamos uma escola que produz analfabetos. Por isso aprovamos governantes que roubam. A gente se satisfaz com facilidade: basta fazer o quatro. E nem é preciso conseguir colocar o dedo na ponta do nariz.

Diogo Mainardi, na Veja

22.8.08

Singela homenagem ao Circo de Horrores

Ele subiu o morro sem gravata
Dizendo que gostava da raça
Foi lá na tendinha
Bebeu cachaça
Até bagulho fumou
Jantou no meu barracão
E lá usou
Lata de goiabada como prato
Eu logo percebi
É mais um candidato
Para a próxima eleição
Ah! E lá usou!
Lata de goiabada como prato
Eu logo percebi
É mais um candidato
Para a próxima eleição...

Eeeeeeeeeeeeh!
Ele fez questão
De beber água da chuva
Foi lá no terreiro
Pedir ajuda
E bateu cabeça no gongá
Mas ele não se deu bem
Porque o guia
Que tava incorporado
Disse esse político é safado
Cuidado na hora de votar...

Também disse:
Meu irmão se liga
No que eu vou lhe dizer
Hoje ele pede seu voto
Amanhã manda a polícia
Lhe bater
Podes crer!
Meu irmão se liga
No que eu vou lhe dizer
Hoje ele pede seu voto
Amanha manda a polícia
Lhe bater...

Ele subiu o morro sem gravata
Dizendo que gostava da raça
Foi lá na tendinha
Bebeu cachaça
Até bagulho fumou
Jantou no meu barracão
E lá usou
Lata de goiabada como prato
Eu logo percebi
É mais um candidato
Para a próxima eleição
Ah! E lá usou!
Lata de goiabada como prato
Eu logo percebi
É mais um candidato
Para a próxima eleição...

Eeeeeeeeeeeeh!
Ele fez questão
De beber água da chuva
Foi lá no terreiro
Pedir ajuda
E bateu cabeça no gongá
Mas ele não se deu bem
Porque o guia
Que estava incorporado
Disse:
Esse político é safado
Cuidado na hora de votar...

Também disse:
Meu irmão se liga
No que eu vou lhe dizer
Hoje ele pede seu voto
Amanhã manda os "home"
Lhe bater
Podes crer!
Meu irmão se liga
Porque eu vou lhe dizer
E depois que ele for eleito
Dá aquela banana prá você
Podes crer!

Meu irmão se liga
No que eu vou lhe dizer
Hoje ele pede seu voto
Amanhã manda a polícia
Lhe prender
Podes crer!
Meu irmão se liga
No que eu vou lhe dizer
E depois que ele for eleito
Não arruma emprego
Prá você!

Bezerra da Silva

o esporte mais solitário que existe



A foto acima mostra o que praticamente selou a soberba vitória da Maurren Maggi. Sem querer dar uma de advogado do diabo, eu diria que é praticamente impossível vc determinar sempre um máximo aproveitamento daquela tábua que define o começo do salto. Isso quer dizer que a conquista da atleta brasileira teve uma boa dose de sorte. 'É um demérito?', você me pergunta; longe disso! A sorte só trabalha a favor de quem está pronto para ela. (Ô, clichezão...)

---

Uma história: na adolescência pratiquei atletismo por cerca de um ano numa (miraculosamente instalada e pessimamente conservada) Praça de Esporte que havia em frente de casa (à noite era ponto de outros esportes, mas isso é uma outra história...) sem, contudo, chegar a competir; era mais para condicionamento físico, mesmo.

Das lembranças que tenho dessa época, posso dizer o seguinte: o atletismo é das modalidades mais solitárias do esporte. Quase sempre o adversário é nada mais nada menos que você mesmo. Você tem que manter o foco, ser frio nas adversidades, mais frio nas horas de grande vantagem, ter plena confiança em sua capacidade, ter sensibilidade para fazer os detalhes trabalharem a seu favor... Se vocês tiverem reparado as transmissões de atletismo, os técnicos ficam longe dos atletas, quase inacessíveis. E isso significa que tudo se resolve na cabeça do competidor. E é por isso que adoro Olimpíadas. É quando estamos diante de uma grande concentração de pessoas fenomenais.

21.8.08

Para mim, o que fica dessa final é um retrato do esporte olímpico brasileiro. Em quase todas as modalidades, somos o país das exceções. Não temos tênis, tivemos Guga. Não temos basquete feminino, tivemos Paula, Hortência e Janeth. E ainda não temos futebol feminino, temos Marta, Cristiane e Daniela.

A prata de Pequim é muito menos do que merecem essas moças. Mas é muito mais do que merece o futebol brasileiro.

Marcelo Barreto, no Almanaque Olímpico

Que pecado...!

Ok, a gente cultua a eficiência em nosso dia-a-dia, e as norte-americanas do futebol não foram nada mais nada menos que eficientes (só isso). Portanto: que pecado a medalha de ouro não ter acontecido para as brasileiras...!

19.8.08

Felices hermanos.

Uau. 3x0 Argentina, no futebol! Só falta a CBF aumentar o vexame, como em 96, quando a 'selecinha' ganhou o bronze mas sequer subiu ao pódio na cerimônia de entrega das medalhas. Mais digno ficar logo em quarto.

***

Durante o 'drama' do sumiço da vara da atleta brasileira, me perguntei se a saltadora não poderia pedir alguma emprestada de alguém. Nenhum repórter respondeu a pergunta, mas hoje uma matéria no globoesporte.com me responde: sim, ela poderia.

UPDATE (22:31hs) - A dita cuja reapareceu de uma forma estranhíssima: num galpão onde as varas das atletas eliminadas estavam depositadas (e devidamente empacotadas) apenas a 'vara da discórdia' estava avulsa, encostada num canto escuro (isso não é porcaria retórica... é só uma porcaria de texto). Muito estranho isso, não?

18.8.08

'Homeschooling' tem vez no Brasil?

Seria interessante se casos como esse fossem capazes de fazer nossos amáveis homens públicos revirem a política para a Educação... Qual o que?

De qualquer forma, desejo boa sorte para os adolescentes na maratona de provas determinada pela Justiça de Minas Gerais. A reportagem não deixa claro o que acontecerá com a família depois da prova, tanto para o caso de insuficiência ou de aptidão para a maravilhosa educação pública.

Na reportagem que linkei na primeira linha há pelo menos uma impropriedade por um dos entrevistados:
Para professor titular da Faculdade de Educação da USP, Nelio Bizzo, o "homeschooling" tem fundamento teórico para pessoas com orientação religiosa muito específica (como os quackers), mas não para as demais.
Bullshit! Eu aceito o fato de a prática não ser recorrente entre os americanos (embora um milhão de famílias não seja um número inexpressivo), mas ela vai muito além de mera 'orientação religiosa'.

***

Uma coisa interessante em tudo isso é que o caso remete a um daqueles 'direitos', típicos da lógica brasiliana: "A família é inviolável. (Mas nem tanto...)"

Convém não esquecer que o atual presidente gaba-se em ter aprendido o que sabe (cof cof cof) na 'escola da vida'.

***

Por que não se criar mecanismos para aferir o conhecimento dos homeschoolers?

Para saber mais: Homeschooling na Wikipedia

Tirando as teias de aranha...

- Dona Severina?

- Sinhozinho chamô?

- Chamei, sim. Vai lá no meu blog e tira as teias de aranha.

- Sinhozinho manda...!
"Nossos atletas em Atenas: os meus preferidos são os que chegam desacreditados aos Jogos e, confirmando todos os prognósticos, perdem logo de cara. Quanto mais incompetentes, melhor"

Diogo Mainardi, em 2004. Mas poderia ser ontem mesmo...


Nestas Olimpíadas até agora (18.08) ganhamos 5 medalhas. Para os próximos jogos (Londres 2012), só uma emissora gastou 60 milhões de dólares apenas pelos direitos de transmissão. Imaginando que os custos atuais para a principal emissora não sejam um montante muito diferente, cada medalha até agora custou a bagatela de 12 milhões de dólares. Não é por nada não; é um interesse exagerado por uma subpotência esportiva, não?

***

Não bastassem as mazelas esportivas genuinamente brasileiras, uma de nossas melhores atletas teve a magnânima ajuda da, digamos, organização chinesa (com o perdão pelo mau uso da palavra...) que simplesmente perdeu o instrumento de competição. Bueno, bueno... Depois dessa, por que não imaginar (a sério) uma edição de Jogos Olímpicos no Rio?

Para quem não se lembra, os elogiados Jogos Panamericanos de 2007 teve ao menos 4 finais não realizadas porque a infra-estrutura das respectivas arenas não aguentou as chuvas. Isso é tão grave quanto perder material dos atletas. Portanto, o Rio está apto a sediar os Jogos. Ou não?

***

Falando em Pan 2007. Há pouco mais de um ano a crônica esportiva estava embevecida com certa "potência esportiva emergente"... Pfui.