22.2.06

Reinaldo Azevedo, sobre o rockstar que se leva a sério... + uma nota

O roqueiro pôs uma faixa na cabeça. Havia o símbolo do cristianismo, a estrela de Davi, do judaísmo, e o crescente, símbolo do islamismo. Oh, grande coragem a deste senhor, não é mesmo? Que lindo o seu ecumenismo pacifista! Ao pôr os três símbolos na testa em nome da paz, ele os igualou, culturalmente, aos olhos do Ocidente. Muito bem! Agora espero que ele vá dar um show em Gaza, sob o governo do Hamas, ou, sei lá, em Teerã e exiba na testa a cruz e a estrela de Davi.

A paz, como sabe Bono, não pode conhecer fronteiras. O chato é que os aiatolás proibiram o rock desde a revolução islâmica. O gorducho rebolante pode dizer no Ocidente que o islamismo, o judaísmo e o cristianismo querem a paz. Tem, então, a obrigação moral de fazer o mesmo no Oriente — e nem precisa ser o “nosso Oriente”, aquele que Edward Said dizia ser distorcido. Que seja lá o deles, o reino de justiça sem fim. Conto com Bono para subir num palco num país islâmico e defender o direito dos judeus à vida, à paz e a um território. Se ele não conseguir, que enfie aquela faixa na lata do lixo.

Eu nunca tinha ouvido U2 e intuí que Bono era um cretino. É o que se entende do meu primeiro texto. Agora eu já ouvi e vi Bono Vox. Já sei distingui-lo de uma fatia de presunto. E ele, vejam vocês, é mesmo um cretino."
Da próxima vez, sugiro como show de abertura o Padre Marcelo.

Esse assunto, digamos, menor serviu de mote a questões maiores:(ainda Reinaldo Azevedo, mas em outro texto)
Ver a moçada de 40, 50, 60 chacoalhando o esqueleto em shows de Mick Jagger e U2 dá conta da nossa tragédia cultural e, se quiserem saber, até política. Há um complô contra a maturidade no país. Não me peçam para dizer a origem. Não sei. Os pais não querem ser pais: sentem-se ainda filhos. (...) Que se tenha depredado supermercado para comprar ingresso para o show do U2, mas não tenha sido necessário nem chamar a polícia preventivamente num protesto contra o mensalão, isso informa um pouco de nosso destino."

Nenhum comentário: