12.12.05

Salvador por aí... II

Mis compañeros de viagem (sin orden de preferencia)

Stanislaw Ponte Preta (‘Febeapá 3’,’Bola na rede: A Batalha do Bi’,’Máximas inéditas de Tia Zulmira’) – Jerzi Kosinski (‘O Videota’ – não é difícil de se conseguir em um bom sebo) – Ovídio (‘A Arte de Amar’) – José Oswaldo de Meira Penna (‘Utopia Brasileira’,’Psicologia do Subdesenvolvimento’,’Em Berço Esplêndido’) – Hermes Vieira (‘A Vida e a Época do Visconde do Rio Branco’) – Millor Fernandes (’Lições de um ignorante’) – Raduan Nassar (‘Um Copo de Cólera’) – Herman Melville (‘Moby Dick’) – Eugen Rosentock-Huessy (‘A Origem de Linguagem’) – Gustave Flaubert (‘Madame Bovary’) – Nathanael West (‘Miss Corações Solitários’,’O Dia do Gafanhoto’,’Um Milhão de Dólares’,’A Vida Alucinada de Basno Snell’) – J. D. Salinger (‘Nove Histórias’,’Pra Cima com a viga,moçada!’,’Seymour- Uma introdução’,’O Apanhador no Campo de Centeio’) – F. Scott Fitzgerald (‘Este Lado do Paraíso’,’Suave é a Noite’,’O Grande Gatsby’,’Estranhos, Embora Íntimos e outros contos’) – Truman Capote (‘A Sangue Frio’) – Paulo Sandrini (‘O Estranho Hábito de dormir em pé’) – Jamil Snege (‘Viver é Prejudicial à Saúde’) – Monteiro Lobato (‘A Onda Verde’) – Rainer Maria Rilke (‘Cartas a Um Jovem Poeta’,’A Canção de Amor e de Morte do Porta-estandarte’,’Sonetos a Orfeu’,’Elegias de Duíno’) – Jornal do Commércio (‘A Notícia Dia a Dia – 1827 a 1977’)

parece que sou leitor degenerado, não? Nananina. Vou ler a todos mas a meu tempo. Vários li durante minhas mudanças de cor sob um sol beira-mar (de moreninho mais-leite e café para negão café preto), principalmente as ficções. A ensaística comprei confessadamente pra ler mais tarde, abri exceção pro Monteiro Lobato e 'A Onda Verde'. As idéias desse senhor ainda valem, e não porque o Brasil é um país meio atrasadão não; suas idéias (as dele lá) é que são muito interessantes. Leiam. Ah, vocês viram? tem Millor na lista. Esse senhor dispensa apresentações (se não o conheces, não sabes o que perdes). Dei-me o trabalho de transcrever um delicioso texto. Leia-o aqui.

Ainda não entrando no campo da ficção, recomendo vivamente a todos ‘Cartas a Um Jovem Poeta’, Rainer Maria Rilke.

Na ficção, li basicamente autores americanos e obras da primeira metade do século passado. Nathanal West é muito bom (leiam já 'Um milhão de dólares'); Fitzgerald desceu muito bem (li '...Gatsby'), e descobri Salinger (leiam sem demora 'O apanhador no campo de centeio').

Por que escrevo sobre isso? Bem... Eu disse que passei dias entre livros e da forma como coloquei pareceu notícia incompleta(*). Completo-a pois, agora.

P.S.:(*) E eu falo demais, mesmo... Shame on me.

5 comentários:

Anônimo disse...

Suas fotos são muito boas e sus compañeros de viaje son mucho mejores.

nobody_knows disse...

mucho, mucho mejores!
obrigado pela visita.

nobody_knows disse...

Ô, não é por nada não, mas esse nosso espanhol tá muito mal ajambrado.

Mis compañeros de viagem son MUY mejores....

Na dúvida, vá a esse endereço:
http://64.233.187.104/search?q=cache:nL2csTXh3asJ:portaldeensino.com.br/dicas_idiomas.php%3Fpagina%3Dcorpo_espanhol9.htm+espanhol+uso+de+muy/mucho&hl=pt-BR

¡Hasta la vista!

Anônimo disse...

Vamos ficar no português mesmo para não corrermos o risco de ofender a língua alheia.
Quanto às fotos, só não gostei do gramado. Não dá nem pra bater uma bolinha ali.

nobody_knows disse...

não, não dá pra bater uma bolinha (pelas minhas atuais qualidades no rude esporte bretão, é melhor assim). Mas dá pra deitar nele (tem um monte de sombras) e ver o tempo passar; ou não ver o tempo passar, sei lá...